E elas criaram cinema

Dossier #4

Novembro-Janeiro de 2016/2017

Coordenação: Luís Mendonça e Ricardo Vieira Lisboa

ORIGINAIS

Ricardo Vieira Lisboa / Bárbara Virgínia, um caso insólito no cinema português

Miguel Patrício / Mariko Okada, a musa (im)provável

Helena Ferreira / Seis realizadoras/Seis filmes: cinema chinês no feminino (uma brevíssima introdução)

Raquel Schefer / Uma transfiguração poética do “real” – O Movimento das Coisas, de Manuela Serra (1979/1985)

Luís Mendonça / Susan Sontag ou o grau zero da escrita fílmica

Antonio Rodrigues / Carmen Miranda: a mulher travesti

David Pinho Barros / O outro lado da sujidade: uma introdução a Jane Arden

Carlota Gonçalves / Ida Lupino, a mais noir e a mais luminosa ‘filmmaker’ 

Francisco Noronha / Obsessão a quanto obrigas ou L’homme qui aimait Marine Vacth

Sylvie Pierre [em entrevista] / “Pensar no feminino não era elogio”

Jorge Mourinha / Huppert, a picuinhas

Inês Lourenço / Marlene Dietrich: mais doce do que vinho

Sabrina D. Marques Um retrato do feminino no cinema: Eva contra Lilith = Lady contra Vamp + Um retrato queer no cinema: gender benders

Carlos Natálio / Yuliya Solntseva: do amor ao labor

Ana Catarina Pereira / Quando elas filmam: 10 longas-metragens fundamentais na História do Cinema Português

TRANSCRIÇÕES E TRADUÇÕES

Rita Azevedo Gomes Splendor in the dark

Maria João MadeiraNo Home Movie – Chantal Akerman, Planeta Terra 

Ruth Barton / Hedy Lamarr: a nada feminina ocupação de inventora 

Toni D’Angela O “género” (na) vanguarda 

Para reprodução destes artigos, entre em contacto com os autores através de apaladewalsh@gmail.com

Arquivo interno